.comment-link {margin-left:.6em;}

sexta-feira, dezembro 30, 2005

Estranhas Tradições # 13, A Passagem de Ano


foto: fogo de artifício em Paris (Caiê) Posted by Picasa

FFFFFF!!! minhauuu... É divertidíssimo para nós, gatos, ver como os humanos sentem a obrigação de se divertir nesta noite.
" E então já tens planos para a passagem de ano?"
" Eu, não, nada de especial... Eu nem curto a passagem de ano. Acho que vou ficar em casa, com uma garrafa de champagne!"
"Estás doido (a)! Epá, é a noite do pessoal sair até de manhã, e divertir-se à brava! Ficar em casa???!!! És um mongo (uma monga)! "
Porquê é que há uma noite marcada para as pessoas se divertirem? E se, por acaso, nos apetecer estar tristérrimos porque o nosso namorado fugiu com a vizinha do prédio ao lado (embora esta hipótese me pareça altamente improvável, a não ser que a vizinha tenha insuspeitáveis talentos) , porque a nossa patroa nos deu trabalho a mais nesse dia e estamos a chocar uma gripe, porque nos morreu o peixinho vermelho de estimação, porque a nossa amiga do peito nos disse que estávamos com os ossos das clavículas a aparecer e que o vestido nos ficava mal... (já esta é bem possível, e amigas assim, mando-as a todas subir a Espalamaca e a seguir mergulharem de cabeça!... das minhas clavículas espetadas trato eu!)
"Epá, isso quer é beber uns copos para animar, 'miga!"
Outro ponto interessante é esse de ficar depois a aturar as bebedeiras alheias. Um conta a sua vida desde pequenino, outro ri até da cor do vinho (não é de desprezar a hipótese de outros elementos nestas reacções...), outro chora porque sempre foi infeliz, outro vomita de esguicho, outro ameaça vomitar...
Passagens de ano... Venham elas! Significa que estamos vivos (pelo menos, por enquanto...) ;)

quarta-feira, dezembro 28, 2005

Estranhos Seres # 2, As Sogras


Ergh... Os gatos desconhecem isso de "sogra". Ora, fazemos nós bem, porque parece que a dita provoca fortíssimas comichões nos humanos. Passo a palavra... minhauuuu
Uma mulher que tem uma sogra nunca faz "a comida como o meu menino estava habituado a comer, não, não! Ele sempre detestou sal... E que ideia é essa de camarão com casca? descascadinho é que é!"Uma mulher com sogra nunca é boa dona de casa - a sogra é que sim, e o seu filhote está sempre em péssimas mãos, coitadinho. Aliás, é extraordinário a soberana utilização do sufixo de valor diminutivo "-inho" que as sogras usam para se referirem aos seus rebentos, esses homens feitos, e frequentemente mais velhos do que nós, que são nossos companheiros na vida do dia a dia.
"Antes de te conhecer, o meu filho nunca..." é outra frase gira! Que pavorosas metamorfoses sofreu este homem ao nos conhecer! Ficou quase irreconhecível perante a mulher que o deu`a luz! ... Escusado será dizer que só lhe trouxemos coisas más - o querubim de outros tempos é agora um terrível e opinioso diabinho, que enfurece a sua família de origem! ...
No entanto, se deixamos de ser "noras" , também é frequente passarmos a ser umas raparigas espectaculares e cheias de qualidades: "O que eu gostava daquela Caiê! Essa pequena com quem andas agora não é nada simpática... A Caiê ajudava-nos tanto sempre que vinha cá a casa e era tão bem-humorada!" (isto na fase pós-relação, já se vê).
Ah, abençoada sogra minha, que vive do outro lado do Mundo e só me visitou UMA vez ! QUERIDA!!! Chuac, chuac! ;)

segunda-feira, dezembro 26, 2005

Estranhas Tradições # 12, Hanukkah

Hanukkah ( a Festa das Luzes) calhou este ano a 26 de Dezembro.

Em 164 a.c., liderados por Judas Macabeu, os judeus venceram os greco-sírios, embora estes fossem muito mais numerosos e tivessem armas muito mais sofisticadas. Esta vitória deu aos judeus independência nacional e liberdade religiosa (tudo é relativo e temporário, ao longo da História).

No entanto, Hanukkah não é uma celebração desta vitória mas do milagre da LUZ que se seguiu a ela. Quando entraram dentro do
Templo, em Jerusálem, os combatentes judeus puderam aperceber-se que todo o Templo estava devastado e que havia apenas UM jarro de óleo, apenas o suficente para que a menorah do templo ardesse por um dia. Assim, a luz sagrada não poderia brilhar por muito tempo...

Mas, miraculosamente, esse óleo durou oito dias, o tempo necessário para novo óleo chegar e continuar a fazer com que a chama sagrada da menorah não se extinguisse.

Assim, todas as famílias celebram a LUZ durante uma semana.

Muita LUZ para todos !

minahuuuuuu


Foto : menorah (Caiê)

quinta-feira, dezembro 22, 2005

Ssshhhhhh......


SSSSShhhhhhh..... Para quê tanto barulho por causa de mil tolices?!

Ó mãe, podemos fazer de conta que hoje já é Natal?

;)

domingo, dezembro 18, 2005

Estranhas Tradições # 11, Isto a que chamam Natal...


Ele: A tua família celebra o Natal?
Ela: Sim... Bom... Mais ou menos. E a tua?
Ele: A minha, sim. Mas há pequenos pormenores, porque os meus pais são de nacionalidades diferentes.
Ela: Queres fazer uma árvore? A minha família faz uma árvore.
Ele: Sim, claro. Uma árvore é essencial, com um anjo no topo.
Ela: Um anjo? Um anjo, não! Uma estrela!
Ele: Ah... Para ti, é uma estrela... Bom, podemos pôr um anjo a segurar uma estrela!
Ela: Ou um anjo em cima de uma estrela...
Ele: Não se pode falar a sério contigo... ;) Olha, e a comida da festa?
Ela: Comemos sempre bacalhau.
Ele: Bacalhau?! Mas para que pergunto...? Os portugueses nem comem outra coisa!
Nós comemos camarão na brasa, mas no país da minha mãe comem cabrito.
Ela: Camarão no Inverno?
Ele: Para mim, o Natal é no Verão. Vamos à praia e tudo e o Pai Natal faz surf, não anda de trenó.
Ela: Ah pois, vives ao contrário...
Ele: EU é que vivo ao contrário?! Que lata! Vocês, gajos do Hemisfério Norte, acham sempre que o mundo é vosso.
Ela: Eu até sou uma gajA, coisa em que, por acaso, reparaste desde o primeiro minuto ... ;)
Ele: ... ;) E, por falar nisso, a sobremesa é o quê? porque nós comemos custard ou então pudim de Natal, que é uma coisa muito complicada e demora dias a fazer... e aí 10 horas a cozinhar em fogo lento.
Ela: Nós temos muitas. Mas tradicional mesmo é aquele bolo de natal com as aguardentes e as frutas cristalizadas, que fazem aqui na ilha.
Ele: Aquele que se come velho?
Ela: Isso é para apurar bem o álcool. É um bolo bem bebido! Além de que essas tuas 10 horas em fogo lento não me cheiram nada bem...
Ele: E aquilo é o quê?
Ela: Um presépio. E também temos de pôr trigo para o Menino, e tangerinas para o S. Nicolau.
Ele: Então, não se decoram os jardins das casas? Nem se deixam bolachinhas para o Pai Natal?
Ela: E não te esqueças de pôr um sapato debaixo da árvore para te pôr lá os teus presentes - é tradição.
Ele: Um sapato? Mas nós pomos os presentes dentro de almofadas!
Ela: De almofadas? Então... Deixas um sapato e uma almofada.
Ele: E fazemos um pudim e um bolo?
Ela: E pomos tangerinas e bolachinhas.
Ele: ... Se calhar, o melhor era viajarmos até à Índia. Os hindus não celebram o Natal. Importavas-te muito?

quinta-feira, dezembro 15, 2005

O Eterno Retorno

" Sentei à minha mesa os meus demónios interiores,
Falei-lhes, com franqueza, dos meus piores temores
Tratei-os com carinho, pus jarra de flores,
abri o melhor vinho, trouxe amêndoas e licores.

Chamei-os pelo nome, quebrei a etiqueta;
matei-lhes a sede e a fome, dei-lhes cabo da dieta!
Conheci bem cada um, pus de lado toda a farsa.
Abri a minha alma como se fosse um comparsa...

E no fim, já bem bebidos, demos abraços fraternos,
de copos bem erguidos brindámos aos infernos,
sairam de mansinho, aos primeiros alvores,
fizeram-se ao caminho sem mágoas nem rancores.

Adeus, foi um prazer - disseram a cantar -
Mantém a mesa posta, porque havemos de voltar! "


Música e letra de Jorge Palma e aplica-se (sempre!) minhauuuuu

segunda-feira, dezembro 12, 2005

De Volta à Torre-a-ver-o-Canal ! :)


Depois de 3 meses a trabalhar no Norte frio, umas merecidas fériazitas (ditas "de Natal") na Torre-a-ver-o-Canal. E digam lá se o Faial não é lindo... ;) Obrigada ao rapaz das filosofias pela foto!

minhauuu ...

Vim carregada de palavras em persa e em japonês que vim decorando na viagem (um até breve aos meus housemates).
Um olá cheio de saudades aos meus rapazinhos e ao meu "dono"... se bem que a minha "dona" tinha mais saudades que eu. Muito melados estes humanos! minhauuuu

sábado, dezembro 10, 2005

Eu e os "Estrangeiros"

«Olha para o rosto empoado de uma jovem japonesa e é fácil dizeres "É uma estrangeira, não sou eu". Olha mais de perto para essa jovem tímida, ou para uma mãe angustiada da Nigéria, ou para um turista do Tahiti e a tua impressão inicial muda, e começam a parecer-te familiares. Vês a fé, o desespero, a força, a alegria, e tudo o que a experiência humana pode partilhar. [...] Todos somos supremamente individuais e estamos, no entanto, irrefutavelmente ligados. O mesmo patriotismo de granito que está no rosto dos rancheiros do Arizona está nos dos jovens rebeldes curdos. [...] Os lábios pintados da beleza italiana sugerem a mesma vaidade que os da jovem geisha. E as lágrimas infantis, não interessa onde sejam derramadas, são dolorosas de contemplar. Olhando estes rostos, o estrangeiro deixa de o ser. Olha mais de perto. Poderás dizer "Sou eu". »


National Geographic Magazine, As Melhores Fotos (tradução deste blog)

quinta-feira, dezembro 08, 2005

Síndromas e Outros que Tais


It's no wonder I cannot get rid of this cold. First it was freezing in here. Now it's too hot and we have to sleep with the darn window open. That, and the fact that it seems like every single person on the train has got the sneezles and sniffles too, so we're probably just all passing the same bugs around to each other, sharing, like good little boys and girls.
This is the problem with having to kiss almost everyone you meet in this country, and with the tiring practice at my place of employ of having to shake hands with everyone at the beginning and the end of each day.
All those bugs and germs and viruses and bacteria going back and forth.
Sharing.
Like one big happy family.
Erk. Give me a wave and limited physical contact any day.


Isto retirei eu dum blog sobre as experiências de um não-europeu na Europa... Ai, que chatice o facto da gente se tocar todos tanto... Quanto germe em contacto, D-us meu!!!

E, por acaso, aqui no Canadá, a mesma regra, ou não fossem os anglo-saxões protestantes regidos todos pela mesma batuta (ou será o ceptro da Rainha?... não, isso não pode ser, senão como explicávamos o Arbusto?) : "Não tocarás o teu próximo!"
Ontem, um colega da minha "dona" tocou-a, acidentalmente, no ombro e pediu-lhe tantos perdões que dir-se-ia um acto violento. E olhem que se não fosse pela desculpa nem tínhamos dado pelo toque! Enfim, dá que pensar... Será que usam buracos no lençol?

Irc! Quero a beijoquice e os abraços do sul da Europa de volta, faxafôri... minhauuuuu

terça-feira, dezembro 06, 2005

O Natal da Pug


E eis que, de repente, me dou conta... minhauuu... como será o primeiro verdadeiro Natal sem Ti???








Sem luz.

domingo, dezembro 04, 2005

Paciência de SantA !!!

FFFFFF!!!!

Aqui, começa-se a celebrar o Natal a 1 de Novembro... Sim, as renas e o Rudolph, o Santa Claus, a fúria de comprar coisas e os candy canes.

De modo que quando chega o Natal, já andamos nisto há mais de mês e meio!!!!

Se vejo mais um Santa Claus, seja ele verde ou vermelhinho, atiro-lhe uma bola de neve ao... ao trenó.

sábado, dezembro 03, 2005

O Sexo e a Cidade ou a Casa das Nações # 2


Aqui em casa, somos vários, de muitas nacionalidades, já vos disse, minhauuuuu....

O comando da TV está sempre nas mãos dos gajos, que fazem um zapping louco, enquanto que nós, meninas, em número manifestamente inferior, mal lhe tocamos e com aquele gene- recessivo-que-deixa-comandos-em-paz quando "abancamos" num canal, NÃO MUDAMOS.

(Alguém devia explicar a curiosa relação fugaz dos homens com os canais de tv...)

Os homens cá de casa (volto a referir que são de culturas diferentes) só param para ver uma série - Sex and the City - que nós, mulheres, achamos uma treta de série, sem nada de relevante, que não nos fala de assuntos importantes, sobre os quais se pense, nem de trivialidades interessantes, que nos tirem a cabeça de misérias, e nem sequer tem gajos de jeito para quem se possa olhar...
Mas os homens adoram-na! Ainda pensámos que fosse por causa das 4 mulheres, embora sejam, todas elas, demasiado americanadas e desesperadas para os fazerem perder tanta hora (enfim, na nossa opinião, claro que é impossível saber do que gostam os gajos! ...)

Mas não... Dizem eles que a série os faz "aprender mais sobre o que as mulheres gostam"!!!! Nunca ouvimos nada mais ridículo!!!! Em vez de se porem em campo, a praticar na vida real, como deve ser, ... não. Ficam pasmadinhos, a ver um bando de histéricas na tv, para mais numa série cujo argumento é feito por um gajo, convencidos de que assim hão-de saber o que querem as mulheres... 'Tadinhos. Já não há homens decididos como antigamente! FFFFFFFFFFFFFF

Estas Coisas da Língua...


Quando chegámos ao Canadá, a primeira coisa que nos perguntaram foi se tínhamos sido educadas em Inglaterra; depois de mais alguma conversa, perguntaram-nos se tínhamos vivido na Austrália.
" Não conseguimos definir essa pronúncia, mas não é norte-americana... " ... Explicámos.

Mas as coisas bonitas, bonitas são as expressões. ;)

"The kids are coming here today to get some loot"
Demorei 5 minutos a perceber o que iam as crianças ali buscar, porque loot para mim era roubar até esse momento... Aqui são rebuçados!
"What can you tell me, pork chop?"
Como nem como porco, nunca pensei que se referissem ao grupo onde estava, muito menos a mim... Um pork chop no Canadá é um português... em calão, claro está.

Por outro lado, as minhas expressões nem sempre são entendidas! eh eh eh! "It's a bit nippy, today, isn't it?" O que me vale sempre a interrogação : "Está o quê?" (e desde já reparei que só passei a usar essa expressão desde que te conheci, J., o que prova que é uma coisa do Hemisfério Sul...) ou "that was wicked fast!" e toda a gente se torce nas cadeiras...

A propósito, Root aqui é uma marca de roupa, e muito famosa... Isso valeu-me grandes gargalhadas! Como as coisas são! :) :) :)