.comment-link {margin-left:.6em;}

segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Harriet Tubman, Black Moses


Harriet Tubman (Black Moses, segundo me dizem aqui os African-Canadians da zona) é uma daquelas figuras esquecidas pela História que merece ser lembrada.
Nasceu em 1820, em Maryland (E.U.A.). Os seus pais foram trazidos de África, como escravos, para trabalhar numa plantação e ela própria começou a trabalhar como escrava aos 5 anos de idade. O seu espírito era demasiado livre e rebelde para ser amarrada a "donos". Aos 15 anos, Harriet ajudou outro escravo, protegendo-o do patrão. O patrão atirou-lhe um peso (usado nas balanças) à testa, que a pôs em coma por muito tempo e a deixou para sempre com sequelas. Ao longo da vida, Harriet sofreu de ausências constantes.
Em 1849, depois da morte do patrão, os escravos iam ser vendidos para o Sul - aí, Harriet decidiu fugir porque o Sul representava o pior que um negro podia desejar.
Harriet tinha um espantoso sentido de orientação nos campos; seguia a estrela polar, segundo ela própria confessou. Chegou tão longe quanto o Canadá.
A escravatura no Canadá foi gradualmente abolida desde que o Governador Simcoe fez o Act Against Slavery no Ontário em 1793 (bastante cedo, como se pode ver). No entanto, só em 1810 podemos considerar que, efectivamente, já não havia sinais dos grandes senhores manterem escravos em suas casas. De qualquer modo, recorde-se que a Guerra Civil dos E.U.A. foi só em 1861, pelo que imensos escravos negros fugiam para o Canadá em busca da liberdade.
O sistema de casas de abrigos, veículos (por terra e por mar) e pessoas que faziam esta fuga ficou conhecido como Underground Railroad. Harriet era uma mulher tão determinada que se tornou uma peça fundamental desta organização furtiva.
Voltou aos E.U.A. dezenas de vezes para trazer consigo vários escravos, ajudando-os a encontrar o caminho da liberdade. Isto apesar de ter uma recompensa de 40.000$ pela sua cabeça e de ser facilmente identificável pela cicatriz que lhe deixara o patrão. Sozinha e sem direito a recompensas ou medalhas, esta mulher arriscou a vida por quem nada lhe dizia.
Mais tarde, na Guerra, Harriet trabalhou como enfermeira, cozinheira e espia. Fez o que era preciso. Depois da Guerra, os E.U.A. negaram-lhe uma pensão militar, por duas razões: porque não tinha uma posição formal e porque era mulher. Só faltava dizerem que era negra...

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Um Desejo... Ou Dois.


... Posted by Picasa la poupée qui vouvoie, eve tremblay


Quando eu for grande, não quero ser uma Barbie.
E dispenso o algodão suave a tapar-me os olhinhos também...
(ah, chama-se maquilhagem? oopppsss)
As Gatas não usam disso.

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

A Capital - (onde é que já vi este título?) eh eh eh ;)


Parlamento, by Caiê Posted by Picasa
A foto está de lado porque eu gosto de as tirar assim e mai' nada! Não é um ataque ao Parlamento, escusam de me vir chatear no msn, tá bem? Obrigada. ;)


Ottawa é a capital do Canadá. Verdade trivial, mas vão lá perguntar aos vizinhos do prédio a capital do Canadá e mais de metade não vos vai dar a resposta certa, quase aposto, minhauuuu!
Nã sei porque raio nunca vos falei dela, mas hoje apeteceu-me. Suspeito que para não eleger como capital nem a metrópole anglófona de Toronto nem a metrópole francófona de Montreal, lá se foi buscar Ottawa a meio caminho... Se bem que fica muitíssimo mais perto de Montreal, pertence é à província do Ontário. Politiquices. E por falar nisso, lá estão o Governo, o Parlamento, o Senado e o Tribunal. Não fossem eles e Ottawa ficava reduzida a pouco... Sim, porque é um pouco como Canberra e Brasília - o nervo onde se dirige a nação, mas não muito mais que isso. Também tem, em abono da verdade, uma galeria de arte muito boa. Para a próxima, falo dela. E, claro, o Rideau Canal - 126 milhas que ligam o lago Ontário ao rio Ottawa, congeladas no Inverno onde se pode patinar.
Não conheci ninguém em Ottawa que não fosse bilingue. Na verdade, também não conheci ninguém em Montreal que não fosse bilingue. De Toronto, infelizmente, já não posso dizer o mesmo...

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

Há coisas que nunca mudam!


Candeeiro de petróleo, by Caiê Posted by Picasa

Confirma-se: a folha de impostos no Canadá é tão chata como em Portugal! Que seca!

terça-feira, fevereiro 21, 2006

Momentos quase Perfeitos

"L'objet de notre amour est le centre d'un paradis." - Novalis.


Foto : Estátua em Montreal, by Caiê Posted by Picasa

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Uma Paixão ou Duas... no Gelo


Ice Skates nos meus pés, by Caiê Posted by Picasa


Sim, avó, tinhas razão, falhei a profissão. Devia ter ido para patinadora artística: "Não vês que isso é que te vai fazer uma mulher linda, em vez de seres sempre uma escanzelada bailarina? E olha que não são menos graciosas, pelo contrário ... "Mas é muito frio, o gelo... E nunca vou conseguir, não gosto de lâminas!"... "Veste meias e engorda. Perde o medo das lâminas. Credo, que rapariga difícil! Se, com duas frases, já te dei as soluções todas!"
Querida, agora já patinei no gelo. Como um pequeno urso, não fui nada graciosa... Era a primeira vez e até cairia mais não fosse a simpatia dos quebecoises - "C'est la premiére fois, n'est-ce pas, ma'mzelle ? Je peux bien vous montrer comment on fait pour patiner... C'est facile, mais il faut glisser doucement."
Estou encantada! Dava uns minutos de vida por mais uma escapadela no gelo, de patins laminados. Tinhas razão - é lindo, dá uma sensação fenomenal de evasão, faz-nos sentir mais vivos.
Vivos, vivos, vivos... com nódoas negras de felicidade.

sábado, fevereiro 11, 2006

Coisas Do Burro - Post Final antes do BREAK


Opá, mas que chatice, estávamos já todas embaladas (e emaladas) para a época da reprodução, e vem mais uma correntinha daqui para eu dizer defeitos meus. Defeitos? Moi même?!
Olhem para mim, Gata Pug, na fotografia e vejam lá se sou Gata para ter defeitos... Vá lá, Chuvinha Miuda, vou-te confessar....
* demasiado independente;
*demasiado cheia de ideais, dizem-me;
*incapaz de me perdoar;
*permanentemente insatisfeita;
*atormentada por seres ausentes.
Hey, tanto defeito. Chega? Olha, agora, tu desculpa, mas dá-me, pelo menos, semana e meia, sem net, que as endorfinas estão-me todas a subir a níveis inimagináveis! minhauuuuu. Será que é Primavera?!
Duas vezes por ano. eh eh eh!

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

As Cinco Manias

A Estrelinha Ajuízada desafiou a minha “dona” para entrar nesta corrente das cinco manias, revelando cinco hábitos pessoais que a particularizem. Difícil escolher porque somos gajas muito normais (ou então não). Tive de ser eu a escolher e ela escolheu os meus.

Cá vão 5 hábitos da Caiê:
1) espreguiçar-se totalmente e esticar-se como um gato, todas as manhãs, ao acordar;
2) falar com as mãos e rir com os olhos;
3) distinguir as pessoas pelo cheiro da sua pele;
4) lamber a prata dos chocolates, e as gotas de álcool que restam nos copos, devagar;
5) tocar “guitarra” nas mãos enquanto lê.

5 hábitos da Pug:
1) fingir que não está a ouvir e depois levantar-se no momento certo;
2) saltar para dentro do duche quando alguém está a tomar duche e nunca noutra ocasião;
3) ser uma voyeur confessa;
4) gostar de marinheiros e do cheiro a sal que está nos sacos velhos deles;
5) ser terrivelmente “dona do seu narizinho”. De todas as outras partes do corpo também, obrigada.

Agora, tenho de escolher 5 vítimas para apanharem esta corrente. Mas como somos duas miúdas (mulheres... ahn... gatas???... pois) , a coisa multiplicava-se por 10. E eu sou tão generosa (e eu tão pouco cusca, minhauuuu) que queremos dar-vos a todos a oportunidade (ou a nenhum). Feel free.

Aproveitamos a oportunidade para dizer que a Pug e a Caiê não vão postar durante cerca de semana e meia. Muito que fazer, sabem como é... aquela altura do ano para as Gatas. São só duas vezes por ano, há que aproveitar. Até lá! minhauuuuuuu

Conversas que a Gata Preta ouve # 15 ou A Resposta do Islão


- Hey, H., tu que és muçulmano, que me dizes destas caricaturas do Mohammed que andam a fazer agora e desta celeuma toda, ahn?
- Vai-te lixar, D., tens é ciúmes e inveja!
- Ciúmes e inveja, eu?
-Sim, pá, não me puxes pela língua...
- De quê, colega?
- O meu profeta tinha um harém de mulheres, amigo... e o teu era seguido por 12 homens. Ainda por cima, atraiçoaram-no... Cala-te lá!









Foto: An Arabian Trilogy, Theater.

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Hey Canada! :)

"Então e para a Profe, o que é o Canadá?"
perguntaram eles, incisivos como esquilos.

Bom, o Canadá é onde tenho de fazer uma casa minha por oito meses. São fotos como esta que tirei, à porta dessa mesma casa, esta manhã.

O Canadá são vocês. Irritar-me por vocês pensarem que o mundo acaba no México. Ficar orgulhosa por vocês lerem um poema em português e dizerem "Ah, então é isso!" Rir quando vocês perguntam como é que se diz "fuck" e depois pensar se será contra as regras dizer-vos.

É eu refilar, todos os dias, contra o excesso de regras e ser contra essas tolices do assédio sexual. O Canadá é eu querer fechar a porta para falar com alguém e não poder porque me dizem que "posso estar a fazer o que não devo ali dentro..."

O Canadá é essa natureza linda e despovoada. É eu dar um grito e não ouvir eco porque é um mundo branco que não acaba; não há paredes.

O Canadá é o meu amigo do Irão com quem partilho a casa tocar na Estrela de David que trago ao pescoço desde a infância e dizer que o mundo está doido, que nós sabemos que os ódios são dos governos, não são das pessoas.
O Canadá é o meu amigo japonês dizer que não há samurais, mas nós acharmos que ele é um gajo perigoso a cortar cebolas na cozinha, manejando facas.
É a Jul, contando histórias da Guerra; é o sorriso do Yannis, com o seu savoir vivre e o "maize soufflé". Oh, ma petite, j'aimerai bien avoir des mots... ;)

O Canadá são as senhoras amorosas do café pensarem que sou de um lugar tropical, apesar de eu estar farta de explicar que não. São os esquilos negros, quando subo a colina, de manhã. É a obssessão com o trabalho académico, o frio intenso, o não-poder-tocar-em-ninguém-ou-és-mal-interpretada. O som dos blues jays.

As cidades multi, onde se vê um rosto inuit de vez em quando...
Onde encontro, também, outros tugas e açorianos e é sempre como se fossem da minha família. Querem dar boleia, contar coisas, deixar de falar inglês por momentos.

O Canadá é o meu senhorio a dizer que certos países deviam levar com uma bomba em cima e deixar de existir. O Canadá é a total ignorância em relação ao meu país (vice-versa não se aplica).

O Canadá são os cupcakes. Uf! :)

O Canadá é a falta que sinto de ti. A tua cor preferida era o branco. Ias gostar de ver o mundo branco.

O Canadá é o segundo maior país do mundo e eu sou uma mulher pequena. Mas tenho olhos grandes. :)

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Oh Canada ;)

Pedi aos alunos para, em dois minutos, me darem uma lista das coisas únicas que tem o Canadá.
As coisas surpreendentes de que eles se lembraram... e talvez nem tanto!

1) os inuits e a sua cultura
2) as cataratas do Niagara
3) a CN Tower
4) hockey, hockey, hockey!!!
5) maple syrup (xarope de ácer)
6) a poutine quebecoise
7) os Mounties
8) o café Tim Horton's (que também se relaciona com hockey, como tudo aqui, D-us do céu!)
9) o Robin Williams (sim, o actor!)

Sem comentários...

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Estranhas Tradições # 14, Groundhog Day

Um estranho dia, que os humanos norte - americanos (ok, a falar verdade, são os dos Estados Unidos, fervorosamente copiados pelos canadianos, que depois se apressam a dizer que "não gostam nada deles e nunca fazem nada que se assemelhe a eles, damn it!") festejam a 2 de Fevereiro. Groundhog Day, freely translated pela Gata Preta como O Dia da Marmota, é um dia em que a superstição (a tradição?) faz das marmotas umas infalíveis clarividentes. Cabe-lhes predizer se vamos ter mais seis semanas de duro Inverno ou uma Primavera antes do tempo. Os nossos amigos canadianos dizem que a marmota é um animal muito sensível (não duvidamos...) , e consegue adivinhar o tempo. Então, precisamente a 2 de Fevereiro (vejam a precisão do animal, entre o solstício de Verão e o equinócio de Inverno), se a marmota (e os humanos, claro está, porque desconfio que a marmota, tal como a Gata Preta, se está borrifando para esse pormenor...) vir a sua sombra no chão quando sai do seu buraquinho, temos que aguentar o Inverno puro por mais uns tempos; se não a vir, oh, abençoado animal!, a Primavera chegará cedo nesse ano!
Como devem imaginar, fazem um festival à conta disto. Aliás, se vocês viram o filme Groundhog Day (com o Bill Murray e a Andie Mcdowell) ou um célebre episódio dos Simpsons em que se gozava (cof, cof!) com isto já sabem do que a casa gasta.
Este ano, na minha (?) cidade, vamos ter uma Primavera antes do tempo... mas na cidade vizinha, o Inverno vai durar e durar. Marmotas, decidam-se. O tempo não está para graças... minhauuuuuuu!

sábado, fevereiro 04, 2006

Metáforas


- Don Pablo... Come.. come si diventa poeti?
- Prova a camminare sulla riva fino alla baia, guardando intorno a te.
- E mi vengono le metafore?
- Certo.

(E mais tarde, pergunta a mãe à rapariga como raio se tinha ela encantado tanto por esse desengraçado) :

- Che ti ha detto?
- Metafore...


Uma coisa tão simples, ahn? ;)
Como diabo se compreende que 90% dos alunos inscritos num curso de Literatura venha dizer que NÃO SABE o que é uma metáfora????? FFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF!!!!

E vão ser profes um dia estes... estes.... FFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF!!!!

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Boas Almas


A coisa mais inusitada aconteceu hoje à minha "dona", na fila para comprar café.
"Conti tue soldi..." diz-lhe o colega italiano, que repara que ela conta afanosamente as moedinhas. "Oh (e se não se importam, faço aqui uma elegante tradução de tudo o resto, senão nunca mais é Sábado), é que gastei os trocos todos no autocarro, acho que tenho o $ à justa." Bom, isto foi dito em inglês, toda a fila ouviu, e o colega foi à sua vida, que estava atrasado.
Quando a minha "dona" pediu o seu cafezito e ia a pagar, a sra do café diz-lhe "Não há nada a pagar, esse sr aí do lado já tratou do pagamento". Pois, isso até pode parecer acto, mais ou menos comum, de simpatia em Portugal, mas no Canadá NãO é, de todo, culturalmente vigente. Ficou a minha "dona" atrapalhadíssima, olha para o sr ao lado na fila e vê que nunca o tinha visto mais gordo. Ele diz-lhe, muito sério " Não há nada a dizer, é para que possas pagar o autocarro de volta para casa hoje." Ela, muito confundida, porque detesta ficar a dever favores e tem nariz arrebitado: "Ah! Obrigadíssima! Mas como te hei-de pagar depois?" , ao que ele responde: " Tenho a certeza que nos havemos de voltar a encontrar, no problem." (o que é altamente improvável, dado que o sítio onde ela trabalha tem milhentos edifícios e variadíssimos postos de café e, em 5 meses que aqui leva a "dona", nunca tinha visto este rosto).
Pois, já sei o que estão a pensar: gajo engata gaja na fila para o café matinal, ena ena. Nada disso. Não é que ela seja nada feia, mas também não é uma rapariga bonita. Uma mulher normal, digo eu, com a agravante de usar soutien 32. E hoje não estava nada apetecível. Está doente, com o nariz vermelho e os olhos inchados e uma camisola grossa. E ele era um tipo engraçado, à primeira vista, que - além do mais - se tivesse outras intenções, tinha, logo ali, arranjado maneira de fazer o pagamento do café com juros.
Há que reconhecer: o homem tinha, genuinamente, bom coração. Que ideia tão reconfortante. Uma Gata até se sente mais descansada no mundo!

Puma

You Were a Cougar
You are a great leader who has dominance without ego.You are wickedly cunning and off the scale confident.
What Animal Were You In a Past Life?



Voici, doux comme les fêtes. ;)

via Papu

quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Estranho Clima


A pedido de muitas famílias (sempre achei esta expressão muito estranha! A que propósito as famílias pediriam coisas em conjunto? Vocês imaginam o Paulo Portas e o Miguel Portas a quererem a mesma coisa??!!... Pois. Adiante.), as minhas fotografias voltam a este blog. Eis-me, em pose de Lolita cultural, lendo um calhamaço e fazendo extraordinárias acrobacias para a foto (ou para a fotógrafa?) de serviço.
Estou muito preocupada. A sério. Isso de nevar em Portugal e de ser "o Inverno mais frio em 100 anos" é capaz de ser giro. Os putos brincam na neve. O pessoal plebeu, como os gatos rafeiros da minha família, já pode dizer que andou a fazer férias na neve e rir-se à brava dos ricaços que pagam fortunas por um fim-de-semana na Suiça.
Também é giro este ser "o Inverno mais quente do Canadá em 1oo anos" (de notar que a paranóia do número 100 é querida ao ser humano). Podemos dizer, com alegria, batendo o dente: "Hoje, a temperatura até é capaz de chegar a estar positiva! Bolas, é como se fosse Primavera!" e outras excentricidades que não lembrariam a seres no seu juízo normal (= seres que escolheram lugares decentes para viver).
Mas isto não é uma coisa gira. Os inuits (pronto, vá lá, os esquimós...) estão a sofrer com isso da corrente fria que se deslocou da Gronelândia para a Sibéria. Não podem fazer igloos suficientemente estáveis. Os icebergs derreteram em proporções extraordinárias. Os ursos polares morrem afogados, por não terem onde viver. O Ártico está em crise, disse a televisão. Eu não acreditava (afinal, só vi na televisão... eh eh eh). Mas com esta doideira que estamos a viver no mundo todo, tenho mesmo de acreditar.... minhauuuuuuuuu.