.comment-link {margin-left:.6em;}

terça-feira, maio 30, 2006

Conversas que a Gata Preta Ouve # 17 ou Porque Gosto Deste Espécime


Ela: Ainda não arranjaste o computador?
Ele: Não; pensas que isto é simples?
Ela: Não penso nada disso, mas estás à volta do computador há três horas...
Ele: Pois se tenho de formatar isto tudo e depois voltar a re-instalar o sistema operativo.
Ela: Outra coisa que eu gostava era que quando eu falasse contigo me respondesses numa língua que eu entendesse!
Ele: Mas é que não há outra maneira mais simples de te dizer isto sem ser assim.
Ela: Não há computadorês para leigas?
Ele: Isto é a versão leiga.

(Cinco minutos mais tarde...)

Ela (chata como só as gajas sabem ser quando querem uma coisa) : Ainda não acabaste?
Ele: Claro que não!!! Mas tu estás maluquinha?
Ela: E achas que vais demorar muito tempo?
Ele: Vou. Numa palavra: vou. O melhor que tens a fazer é não esperar por mim.
Ela: Isso é que era... Depois vais queixar-te de que nunca passamos tempo juntos.
Ele: Não passamos tempo suficiente juntos.
Ela: Vês? Já começaste a queixar-te. eh eh eh!
Ele: Tu hoje estás anormalmente e invulgarmente chata.
Ela (falsamente ofendida): Porque quero passar tempo contigo e trocaste-me por uma máquina avariada?
Ele: Porque não costumas ser assim... Olha, já me enganei aqui e queimei um DVD.
Ela: Nem estás a fazer um trabalho certo nem nada! Que desperdício... (suspiro)
Ele: Sabes que és uma fiteira, não sabes?
Ela: Eu?!
Ele (balançando o DVD) : Queres jogar frisbee?
Ela: Não estavas a fazer re-ins-coisos-que-não-interessam-a-ninguém nos computadores?
Ele: Estou a meio de tarefas importantíssimas, mas este DVD agora é inútil a não ser que joguemos frisbee com ele.
Ela: Então, 'bora!


Foto:Anne Taintor

domingo, maio 28, 2006

A Gata Recebe Informações da Escola

Ficha de trabalho: Escreve um texto sobre A Baleia.

Texto:

"Era uma vez uma baleia,

que era muito feia!

Um dia chorou

e um barco encontrou.

Nesse barco estavam homens maus,

Aquilo é um caos.

Aproximou-se para ver...

E o que conseguiu foi morrer!"

Hugo, 8 anos.

Nota ao Encarregado de Educação: O seu filho tem muita imaginação, mas não cumpre as instruções dadas. Já não é a primeira vez que teima em escrever em verso, quando não foram dadas ordens nesse sentido!

É em momentos como este que tenho vergonha de pertencer a esta classe profissional. Colega?! Como diz a Dra Maria "Eu não sou colega desta gente!" ... Falta de coisas sérias para corrigir, não têm?! Humpf!

Pst!minhauuuu Obrigada ao Hugo pelo texto. Nós bem sabemos que a foto é de um golfinho... Foi o que se pôde arranjar (e também não havia fotos de homens maus... nem tudo é um caos!)

sexta-feira, maio 26, 2006

A Gata Suborna o Jovem



Foto: Kaleidoscope Cats 2, Louis Wain.

Estamos muito preocupados. O irmão mais novo da minha "dona" soube de um concurso qualquer, parece que da MTV, que transforma as famílias em séries de desenho animado. Estamos a subornar o puto (tem 14 anos) para que não inscreva o pessoal. É que, disfuncionais como somos, éramos logo escolhidos e nenhum de nós quer passar por essa vergonha.

Conversas que a Gata Preta Ouve # 16 ou Há que Amar a Vizinhança que Veio de Longe



Foto: O beijo, Francesco Hayez.

- Bom dia! Tenho-a visto muito por aqui estes dias...

- Bom dia!Eu moro aqui.

- Ah. Eu pensei que morava aí só um senhor.

- E mora. Eu também moro, mas nem sempre estou cá.

- Pois, eu vi que a menina não estava cá antes. Desculpe eu dizer isto, que não quero meter-me na sua vida, isto é assim conversa de gente mais experiente... que eu também não sou de cá, a menina sabe, eu sou dos E.U.A.

- Pois, eu percebi que a sra não era de cá.

- Eu vejo a menina assim sempre tão risonha, mas muito misteriosa e pensei "ela parece estrangeira" assim pela cara e tudo, entende-me, tem um rosto diferente mas não se percebe donde é... mas depois, pela maneira como fala, a gente entende que não pode ser, porque fala português sem sotaque.

-Pois é...

- Mas estou aqui a rodear, a rodear... Desculpe, mas é que esse senhor que mora aí onde mora a menina... esse senhor disse-me que era casado!

- Não mentiu; nós, realmente, somos casados.

-Ah, é casado consigo?! Ai, eu estes dias, tenho andado a pensar como havia de lhe dizer porque era óbvio que, pela vossa atitude, eram assim... como dizer... íntimos, não é? Mas eu cá para mim pensava que não podia ser a mulher dele porque é muito nova para ser a mulher dele (desculpe, mas parece assim novinha para ele) e depois pessoas casadas, vai desculpar eu dizer, mas não andam sempre assim aos amassos um no outro.

- ??

- Quero dizer, assim sempre agarradas.

- Ah! ... Isso é por fases. (risos) Não é assim com toda a gente? Qualquer dia discutimos com direito a bater com a porta e passar a noite fora de casa para a vizinha ficar descansada. Somos muito normais.

- Ai, credo, eu não desejo o mal dos outros. Mas sabe que isto se ouve tudo de uns prédios para os outros e eu também já fui casada e pensei cá comigo que pessoas casadas não fazem tanto barulho. Está-me a perceber?

- Não, senhora, não estou. Eu até nem tenho televisão. Será do piano?

- ... Pois, pode ser. Então, muito gosto em conhecê-la. Ele falava muito da mulher.

- Faço ideia. Até à próxima,vizinha. Eu treino as escalas mais baixinho, da próxima vez!

quarta-feira, maio 24, 2006

E nem deve estar vazio!

"O drama deste país volta a esmigalhar-nos. É pequeno. É minúsculo. É um penico. Toda a gente se conhece. E os debates acabam sempre em conversas de comadres."

Esta frase foi retirada do post "O Penico" daqui e, quanto a mim, exprime muito bem o andar da carroça...

terça-feira, maio 23, 2006

Açores no seu melhor # 2

Foto: Norte Pequeno, ilha do Faial. Caiê.

O pessoal deste blog só tem pena que esta "Sociedade Geográfica" esteja muitas vezes fechada quando passamos por lá...
A verdade é que a decoração deste bar não tem paralelo (a palavra está muito bem escolhida) e o nome fica-lhe a matar, já para não falar da excelente indicação que dá aos turistas de bicicleta e aos engravatados senhores (muito menos frequentes, estes últimos, graças a D-us!) que às vezes perdem o Norte. É aqui mesmo, o mapa está lá dentro, se precisarem de uma orientaçãozinha e de um rum.
;)

segunda-feira, maio 22, 2006

Os corais e as correrias

Todos os que já observaram gatos sabem como eles gostam de uma vida pacífica (excepto quando estão em causa questões fulcrais como a luta por peixe ou quando a época é de cio...adiante). Isto para dizer que não gosto de ser perturbada. Felizmente, vivo numa casa sem televisão, logo o perigo de recebermos notícias alarmantes é menor. Infelizmente, temos rádio (uma paixão muito antiga dos humanos cá de casa), recebemos um jornal e temos net (embora não demos crédito nenhum às notícias que lá estão, pois qualquer animal pode escrever na net, vide eu própria).
O jornal (já sei que estão a pensar que qualquer animal pode escrever no jornal... é certo, mas olhem que a rádio e a TV seguem o mesmo caminho, vide façam as vossas escolhas) apresentava uma notícia internacional que dizia "Recifes de coral destruídos para sempre!"
O pânico que isto provocou aqui em casa! Considerou-se mesmo fazer já as malas e ir por aí abaixo (é o termo, a não ser que se viva lá em baixo, razão pela qual nunca se pensa "estar aqui em baixo", como calculam).
Lendo a notícia, os que tratam de mim (enfim... à falta de melhores palavras) ficaram a saber que investigadores australianos e britânicos (a segunda nacionalidade valeu um "grumpf" porque "não tinham nada que ir meter o nariz num mar que já não é deles!", pfff) concluíram que os recifes de coral estavam reduzidos a 7,5 % devido ao aquecimento global e à emissão de gases com efeito de estufa e que a diversidade de espécies no local diminuíu 50 % .
Atenção: segundo os cientistas tudo isto aconteceu em 10 anos!Logo, mais uns 3 e não há recifes de coral para ninguém!
"Oh, que grande desgraça! Temos de nos despachar, vamos embora, antes que eu chegue à minha terra e não a reconheça!" chuif. chuif. Um melodrama. Vamos já mudar de vida (Carlos Paredes em banda sonora).
... Olha, espera. Afinal, foram os recifes das Seychelles.
...Ah! ...Então, 'tá bem. Podemos esperar mais um bocadinho. Passa aí o açúcar.

Que canseiras... # 3


... Estamos a pintar.
Eu não, evidentemente. Eu estou a pôr as patas na tinta fresca e a marcar o chão. A sala (não sei porque lhe chamam sala, se é o eterno estúdio "dele") ficou muito bonita, com pegadas à la chatte noire.

Foto: Mano da "dona" a pintar molduras, Caiê.

sexta-feira, maio 19, 2006

Mais uma voltinha, mais uma circum-navegação

Foto:Horta vista do mar. Caiê

Entre Outubro de 2000 e Maio de 2002, Genuíno Madruga, a bordo do Hemingway (lindo nome para um barco, digam lá que não é?...) foi o primeiro velejador açoriano a dar a volta ao mundo em solitário.
Quando este homem (um picoense que reside há muitos anos no Faial) disse que ia fazê-lo, pouca gente acreditou... Mas, à sua chegada, já haviam apoiantes e pêras (mais os via TV, claro está!).
Esta semana, completaram-se quatro anos sobre a circum-navegação. Genuíno Madruga anunciou que " o Hemingway já está há muito tempo no porto da Horta" e vai daí que vai fazer mais uma viagenzita à roda do globo.
Desta vez, G.M. pensa atravessar o Cabo Horn (a pontinha da América do Sul), um feito histórico, já que o Cabo nunca foi - que se saiba!- dobrado por um português. O Cabo Horn, como os marinheiros estão fartos de saber, é outro cabo das Tormentas... Tem de tudo, desde nevoeiro cerradíssimo a ventos cruzados a correntes traiçoeiras. Genuíno prediz que esta aventura há-de demorar uns três anos . Parte em Outubro, novamente, mas desta vez não sai do Faial, mas das Lajes do Pico, para homenagear a sua terra-mãe.
Genuíno tem como figura inspiradora o velejador francês Marcel Bardiaux, seu conhecido. Este senhor foi o único a completar quatro viagens de circum-navegação no mundo, todas passando pelo Cabo Horn e uma delas sem escala (deuses!!!).

quinta-feira, maio 18, 2006

(Mais um) Aviso à Navegação

"Os cidadãos portugueses que possuam também outra nacionalidade não podem reclamar protecção consular ou diplomática portuguesa quando estiverem no país da sua outra nacionalidade. A senhora não sabia?"

Não, a senhora não sabia. Mas, caramba, a senhora acha que nunca há-de ser precisa ajuda consular de uma das nacionalidades para proteger da nacionalidade primeira! Algum país se lembra de atacar os seus próprios cidadãos???

Ah, pois, 'tá bem, já me calei...

quarta-feira, maio 17, 2006

Açores no seu melhor


Foto: Fajã de Santo Cristo, S. Jorge. Jaen.

Se calhar, já toda a gente que é gente sabia (e os gatos também) mas eu só hoje é que dei por isso - a caldeira da Fajã do Santo Cristo e a Fajã dos Cubres (as duas na vizinha S. Jorge, olá vizinha, vejo-a daqui!) foram classificadas como "sítios de importância internacional ao abrigo da convenção de RAMSAR, relativa às Zonas Húmidas de Importância Internacional como Habitat de Aves Aquáticas.", anunciou o secretariado da respectiva convenção na Suiça, na sexta-feira passada. Eu não sabia, mas a convenção (o nome Ramsar afinal não é sigla nenhuma, é o nome da cidade iraniana onde a convenção foi aprovada e eu, feita totó, à procura do que queria dizer cada l-e-t-r-a!) é um dos principais tratados internacionais para a preservação do ambiente.
O que eu sabia é que a vizinha S. Jorge é mesmo muito bonita de um modo quase feroz e, espero, nunca seja invadida por essas novas ideias sem nexo de promoção turística mal pensada.

terça-feira, maio 16, 2006

Bebés!



Ciclo, Caiê Posted by Picasa

Lembram-se da Gata Cristina, essa bebézona? Cresceu e teve filhotes ontem à tarde, como podem ver nesta fotografia, tirada minutos após o nascimento do quarto e último filhote. Foi um parto muitíssimo difícil: a Agatha Christie esteve mais de duas horas e meia a dar à luz, sendo uma hora só para um raquítico gatinho que acabou por não resistir - estava sufocado, sem muito ar nos pulmões. Só sobreviveu alguns minutos, apesar de lhe fazermos umas massagens... O último gato nasceu de patas e não de cabeça. Também foi complicadinho. Os três gatos sobreviventes e a mãe estão bem.
Eu, Gata Pug, estou mesmo a ver que os rapazes, "donos" da Christie, me vão empurrar um gato macho cá para casa... Dentro de dois meses já me vejo a dividir território com um desses mânfios sedentos. Humpf! minhauuuFFFFFFF!
Por enquanto, a parvalhona sentimental da minha "dona" está muito babada com as crias, nem que não estivesse farta de ver bebés (humanos e animais) ... Deve ser porque morreu um (uma, na verdade) e custa-lhe sempre lidar com o nascimento seguido de morte.
Espero sinceramente que fique a fazer luto pela cria morta, como é seu hábito, em vez de pensar encher a casa com mais um gatinho. minhauuufff!
Olhem-me lá estes papa-leite. São só cabeça e miados. Humpf!

domingo, maio 14, 2006

F*ckin' predictable... My Life Path # is 7 !

Your Life Path Number is 7
Your purpose in life is to find truth and meaning
You are very spiritual, and you are interested in the mysteries of life.You are quite analytical and a great thinker. You have many theories and insights.A life of solitude is perfect for you. You need time to think and do things your way.
In love, you are quite charming. You attract many with your confidence and wit.
While you enjoy being alone, sometimes you take it to an extreme.You can become too isolated, shutting out loved ones and friends.Express yourself a little bit more, and you'll be surprised where it takes you!

As Conversas dos Putos # 9


Nuvens, Caiê Posted by Picasa

- Pai, como é que os aviões se livram daquilo que as pessoas fazem na casa-de-banho?
- Na casa-de-banho?
-Sim, na casa-de-banho dos aviões!
-Sei lá, filho, nunca pensei nisso.
- Mas é um problema grave. Será que despejam tudo assim na atmosfera? E depois, por causa da diferença de pressão e do frio, aquilo congela. O granizo pode ser chichi congelado!!!
- Ó Filipe, não é nada chichi congelado. Já te explicámos o que é o granizo, a neve e o orvalho e a chuva, e isso tudo.
- Ó pai, mas se eles largam aquilo no ar, depois as pessoas podem levar com isso! Pai, é como levar com um balázio! Ficas knock-out...
- Filipe, ouve. Os aviões não largam nada no ar. Os aviões esperam e, quando chegam ao seu destino, despejam as porcarias que têm para despejar.
- ....
- Não estás convencido?
- Estou a pensar que isso é bom. Porque eu não gostava nada de ir a andar na rua, apanhar c0m um cocó congelado na cabeça e ir para o hospital. E até podia morrer! E tinhas de explicar que o teu filho tinha morrido porque tinha apanhado com um cocó congelado! Ó pai, era horrível! ... Além disso, nunca mais se descobria que avião é que tinha largado a arma ...

quinta-feira, maio 11, 2006

Ao Canto do Bar, a Gata diz...


Montmartre à noite Posted by Picasa

"Procurar caminhar sobre coisas muito simples: um amor que não seja abstracto nem atormentado nem doloroso."

Alçada Baptista

quarta-feira, maio 10, 2006

Apelo Felino

Estes gatos precisam de ajuda.
minhauuuuus de obrigada. :)

terça-feira, maio 09, 2006

Ele


Como eu vejo o meu "dono".

minhauuu... Ele não gostou. ;) ;)

Ela

Como eu vejo a minha "dona".
Uma ideia que me veio daqui...

segunda-feira, maio 08, 2006

Filosofias # 7 ou Finalmente em Casa


Pedra da Lua, Faial, Caiê Posted by Picasa

"minha benévola terra
se eu te pudesse beber,
pacificar, fazer guerra,
sentar-te à mesa e escrever.

ó minha terra de arados
de tardes lentas e quentes,
e luz que mostra parados
rebanhos incandescentes.

quando passo de automóvel
esqueço-me de onde moro
porque sou meu lar imóvel.

o rádio sempre a tocar
um coração avariado
que não posso desligar."

poema de rui lage

sexta-feira, maio 05, 2006

Estranhos Momentos # 7


miradouro da Graça, Caiê Posted by Picasa

Uma pessoa sabe que está em Portugal quando o taxista nos conta metade da sua vida ("Pois, menina, é como lhe digo, a minha mulher sofre muito dos ossos, e então queríamos ir passar férias assim para um sítio quente por isso lhe pergunto de onde vem... Não é que Lisboa seja fria, mas isso sabe porque é de cá. Ah, não é?! E eu ia jurar que era. Ah, dos Açores. Pois eu já lá fui, conheço 5 ilhas. Gosto tanto. Mas é húmido, portanto também não convém à minha mulher...") e nos deseja felicidades quando se despede de nós ("até me parece que já a conheço um pouco, conversámos um bocado, ahn?").
Uma pessoa sabe que está em Portugal quando toda a gente atravessa a rua alarvemente e ninguém se admira, quando perguntamos onde fica a rua tal e o senhor diz "eu não sei, mas pergunte ali no senhor da esquina porque o senhor que vende frangos conhece todas as ruas deste bairro" (e isto apesar de estarmos na capital, onde ninguém tem tempo para se coçar e onde o conceito de loja de esquina é duvidoso...).
Uma pessoa sabe que está em Portugal quando vê o olhar da sua primeira "sobrinha", nascida a 25 de Abril deste ano, com menos de 3 kg, uma Leonor escura e pequenina que pesa muito mais no coração que nos braços.
Uma pessoa sabe que está em Portugal quando vê a luz. A luz cai aqui de modo diferente.

terça-feira, maio 02, 2006

Obrigada :) :) :) :)


Foto: La Frileuse, no Met, Caiê Posted by Picasa

To say "See you" in a graceful manner is not that easy... You did it wonderfully, much more than I ever could.

Dire "Au revoir" dans une façon graciouse n'est pas facile... tu l'as fait ravissantement, mieux que moi.

"The aim of life is to live, and to live means to be aware, joyously, drunkenly, serenely, divinely aware."

(Caiê:Só tenho uma perguntinha... Tinham mesmo de se despedir com uma citação do Henry Miller?? Que é que isso quer dizer?
Pug: Já pensavas menos no que está nas entrelinhas. Aliás, vou refazer... Já pensavas menos!!)

segunda-feira, maio 01, 2006

Tristes Realidades # 2


Two girls with oleander, by Klimt Posted by Picasa

" A beleza desvanece-se, com o tempo; a estupidez permanece. "

Não sei quem disse esta frase, mas ela ocorre-me cá com uma frequência! Assustador...