.comment-link {margin-left:.6em;}

domingo, maio 06, 2007

The End.


Embora a Caiê e a Gata Pug estejam muitíssimo certas de que não devem explicações a ninguém, surpreenderam-se por algumas manifestações de surpresa triste em relação ao fim d’O Mundo da Gata Preta – sim, que este blog sempre foi da Pug. Minhauuuufffff ! ;)

Por isso, cá vão uns miados sobre o assunto. As coisas do costume, coisas de quem faz um blog um dia e acaba por dizer « agora já não » dois anos e tal depois: a ideia inicial do blog desfez-se, a nossa ideia de partilha internauta também, havia que reconhecer que a internet não era uma hipótese de comunidade global (que ideia tão neo-hippy, agora que penso nisso…), antes pelo contrário, era sim (oh quantas vezes) um conjunto de gente trancadinha em seus lares, destilando o melhor de si para dentro de uma máquina (já os beatles cantavam sobre « all the lonely people… where do they all come from ? ») ou – muito pior – um conjunto de gente, trancadinha em seus lares, destilando veneno para dentro desse mesmo computador (aproveito para dizer que só li mesquinhices virtuais de gente de muito perto, geograficamente, que, mesmo não me conhecendo, se acha no direito de me detestar por afinidade colateral. Não é a terra que é pequena : são os senhores, minhas flores).

Assim, este blog acaba, no fundo, por uma única razão, que é muito simples : já não nos dava gozo fazê-lo.

A todos os amigos que, inexplicavelmente, fizemos aqui (é curioso o que fazem as palavras), lembramos que o Mundo é grande mas não tão grande que não encontremos quem quer ser encontrado. Estaremos por aí… Não somos mulheres nem gatas de dar conselhos, mas – tal como nós – vocês só têm um tempo : não o gastem com inutilidades. Vivam.

Pug meows :

SO LONG AND THANKS FOR ALL THE FISH ! ;)
Foto: Pug by J.A.C.

quinta-feira, maio 03, 2007

... So long and thanks for all the FISH! ;)



minhauuuu!!!

Conversas que a Gata Preta Ouve # 34

- Devo dizer-te a ti, que não és de cá, que estamos quase nas Festas mais sagradas das nossas ilhas.
- Quais são?
- As do Espírito Santo.
- O que acontece aí, sr. Padre?
- Bom, o mais importante é que o Espírito Santo desce sobre nós.
- Xiii... As virgens que se cuidem!!!

quarta-feira, maio 02, 2007

Syros Express # 2


- Então, como está o teu homem, Solvejg? - perguntou-me um pirata, enquanto me batia com a palma da mão nas costas.
(E toda a gente olhou pelo canto do olho, fingindo que não estava a olhar, porque é muito importante para esta gente saber como os homens tocam nas mulheres que estão sozinhas e se elas lhes respondem, oh, deuses, o que poderia sair daqui é do interesse de toda uma comunidade)
- Está bem - respondi.
(e toda a gente afinou os ouvidos para esta resposta, igualmente interessados, saberá ela se o homem está bem, terá notícias? foi esta mulher deixada no cais ou nem por isso? e mesmo que fosse o seu dever era esperar sossegadinha, a ver vamos se aquele olhar com que ela respondeu a este gajo não é passível de segundas intenções, mantem-te atenta Maria, que eu também)
- E por onde anda a navegar ele agora? - perguntou um marinheiro sobre o meu marinheiro, coisa muito comum.
(nada que não excitasse mais a audiência, agora é que vamos poder pôr o pontinho no mapa, chega-te para lá Manel que me estás a estorvar, é preciso que não se perceba que a gente está todos interessados nesta conversa a dois, esta pequena nunca me enganou, nem ele também, lembra-te daquela conversa que diziam os antigos "no mar só com marinheiros", e eu acrescentava, Maria, "e em terra é fugir deles"...)
- Na verdade, não sei. Algures entre o mar Egeu e o mar Jónico. -respondi.
(longe de furar o espírito em spinnaker da audiência, isto excitou a hola. Ah, tu ouviste? A pequena "não sabe ao certo", se isto é coisa que se admita, qualquer mulher devia ter o relatório completo dos passos do seu homem e então nem saber ao certo, louvado seja o senhor, e logo nos mares, pode-lhe dar um mal de morte, ou pior, que é como quem diz, um mal de sereias, e ele também, coitado, agora que me "alembro", nem deve saber que ela está aqui, bebendo com este outro. Ao que chega a vida, é um escândalo que a todos nós diz respeito.)
- Pois é assim este amor pelos barcos. Nunca sabemos ao certo para onde vamos. - disse um pirata, rindo, e acrescentou - Se falares com ele, diz-lhe que seja feliz por lá.
- Sabes como é. Tem cuidado contigo. - disse eu e pus a língua de fora à Maria e ao Manel da mesa mais próxima.
---
Foto: Mykonos by J.A.C.