.comment-link {margin-left:.6em;}

domingo, agosto 19, 2007

It's a hard day's life...


... e agora também sem net.
A explicação está aqui. Até ao próximo ancoradouro (sim, que isto está longe de poder ser chamado marina...)
minhauuuFFFFF.
Foto: Ανατολία in Pelagos

sábado, agosto 11, 2007

Conversas que a Gata Preta Ouve # 37

- Toda a gente encontra o seu "perfect match".
- És um romântico, meu amigo.
-Não, não, isto nada tem a ver com romantismos... Repara: um agressor encontra sempre alguém com perfil de vítima (e vice-versa), alguém carente encontra sempre alguém disposto a fazer papel de papá protector ou mamã possessiva (e volto a dizer vice-versa), alguém revoltado encontra alguém autoritário (idem), etc, etc, etc...
-Hum... Isso não é, de todo, descabido de sentido.
- Pois não! As pessoas atraem-se como imans, porque precisam dessa orientação oposta, para encontrar um equilíbrio. Ou pensam que sim, embora isso, na maior parte das vezes, não lhes traga equilíbrio algum.
- E como explicas o caso da vítima e do agressor??
- Sentimento de culpa, minha cara, e baixa auto-estima. São criaturas que se amam tão pouco, mas tão pouco que se punem e castigam todo o tempo, fazendo-se bater por outros. Julgam que merecem o pior desta vida.
- Ah.
-Pois é. Estão erradas, mas não sabem e nunca ninguém lhes disse que são humanas, tão só.
- Olha, e os perdidos? Achas que encontram quem os oriente?
- Minha linda, isso de ter perdido a luta com D-us é um caso grave. Só ele pode tirar alguém do limbo, convenhamos.

segunda-feira, agosto 06, 2007

Mascote



A Gata de bordo não gosta de partidas, mas sente, no pêlo eriçado pelo vento, que há sempre uma chegada mesmo mesmo ao virar de bordo...

Foto: Euronav (na distância) e Morning Dew.

sábado, agosto 04, 2007

Conversas que a Gata Preta Ouve # 36


- Há qualquer coisa de Gata em ti.
- Ah sim? FFFFFFFFFF! Ouço isso muitas vezes.
- Não, não, quero dizer... É mais do que personalidade. É uma forma de estar.
- Sim, realmente, tenho unhas retrácteis.
- Ah! Ah! Ouve: os gatos também não se podem controlar e igualmente não deixam que ninguém se aproxime demasiado deles.
- Hum... Mas não sou uma Gata qualquer. Sou uma Gata Preta.
- Vê-se logo!
(silêncio)
- Sabes que, antigamente, queimavam Gatas como tu?
- Não há crise. Estou pronta para a fogueira que me espera. Como sabes, as Gatas Pretas ardem a rir, o que incomoda muito o público.

Foto: Pug e a sua sombra, by Caiê